segunda-feira, 21 de maio de 2012

Alunos de Escola Estadual estão assistindo aulas no chão das salas


escola_estadual_tertuliano_ayresOs alunos da Escola Estadual Tertuliano Ayres Dias, localizada na rua Francisco Holanda, Planalto 13 de Maio, estão enfrentando sérias dificuldades em relação à falta de carteiras na instituição. Devido à insuficiência do material, uma parte dos estudantes está assistindo aulas no chão das salas, fato que tem provocado a revolta entre os próprios discentes e seus pais.

A grave situação foi denunciada através da rede de microblogs Twitter. Com aproximadamente 430 alunos, a instituição ainda oferece aos discentes carteiras em péssimo estado de conservação.

"As carteiras estão quebradas, enferrujadas. Mesmo assim, está sendo feito o possível para que os alunos assistam às aulas, e alguns têm sentando no chão das salas. É complicado, no turno matutino, por exemplo, as mães dos estudantes saem de sala em sala à procura de carteiras para seus filhos, assim como os professores", detalha Cássia Câmara, docente do 5° ano.

Hoje, a escola funciona em dois turnos, pela manhã, horários que são ministradas aulas para turmas do 1º ao 5° anos, e à tarde, com estudantes do 6º ao 9º anos. "Esse é um problema recorrente em todas as escolas estaduais, mas temos que falar em causa própria", enfatiza Cássia Câmara.

Em conversa com a equipe do jornal O Mossoroense, a diretora da instituição escolar, Margarida Silvina, informou que já foram encaminhadas ofícios à 12ª Diretoria de Regional de Educação, Cultura e Esportes (Dired) comunicando os problemas existentes na unidade.

Segundo a diretora, recentemente a Escola Tertuliano Ayres recebeu uma parcela extra do Programa de Auto-Gerenciamento da Unidade Escolar (Pague), e essa verba está sendo utilizada para a execução de serviços urgentes, como o conserto das carteiras.

"Estamos esperando o conserto ser realizado, e todas as providências estão sendo tomadas, desde o início do ano, para solucionar essa situação", conta.

Margarida Silvina ainda diz que enquanto o material não for entregue, medidas alternativas estão sendo adotadas. "Estamos utilizando as cadeiras e mesas do programa Mais Educação. Quando as aulas terminam, elas são guardadas, uma vez que são confeccionadas em plástico, material que é mais fácil de ser danificado", afirma a diretora.

A reportagem do jornal O Mossoroense tentou entrar em contato com a responsável pela 12ª Dired, para obter informações a respeito da situação relatada, mas não obteve êxito em suas tentativas, tanto através do telefone da Diretoria Regional, quanto do celular da própria Magali Delfino.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário